top of page

TDAH: Características e Sintomas nas Fases do Crescimento - Criança, Adolescência e Adulto

Atualizado: 11 de ago. de 2023



TDAH: Características e Sintomas nas Fases do Crescimento - Criança, Adolescência e Adulto

O transtorno de déficit de atenção com hiperatividade (TDAH) é um transtorno neurobiológico que afeta a capacidade de uma pessoa prestar atenção e controlar impulsos. Embora seja mais comum em crianças, o TDAH pode persistir até a idade adulta.

As características e sintomas do TDAH podem variar de acordo com a fase do crescimento em que a pessoa se encontra. Em crianças, os sintomas mais comuns incluem dificuldade em prestar atenção, hiperatividade e impulsividade. Já na adolescência, os sintomas podem incluir problemas de organização, dificuldade em completar tarefas e impulsividade. Em adultos, o TDAH pode se manifestar como dificuldade em se concentrar, procrastinação e impulsividade.

É importante lembrar que os sintomas do TDAH podem ser confundidos com outras condições médicas ou problemas de saúde mental. Por isso, é fundamental que o diagnóstico seja feito por um profissional de saúde qualificado. O tratamento do TDAH pode incluir terapia comportamental, medicamentos e mudanças no estilo de vida.


TDAH na Infância

O Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH) é um distúrbio de neurodesenvolvimento que afeta cerca de 5% das crianças em idade escolar, sendo mais comum em meninos. As principais características do TDAH na infância são a desatenção, hiperatividade e impulsividade.


Diagnóstico na Infância

O diagnóstico do TDAH na infância é baseado na observação do comportamento da criança, avaliação do histórico médico e entrevista com os pais e professores. Os sintomas do TDAH na infância incluem dificuldade em manter o foco em atividades, inquietude, impulsividade e comportamento desafiador.

Os sintomas do TDAH na infância podem afetar o desempenho escolar e social da criança, por isso é importante que os pais e professores estejam atentos aos sinais e procurem ajuda médica caso suspeitem do transtorno.


Tratamento na Infância

O tratamento do TDAH na infância pode incluir terapia comportamental, medicação e mudanças no estilo de vida. A terapia comportamental pode ajudar a criança a desenvolver habilidades sociais e de organização, além de ensinar estratégias para lidar com a impulsividade e a desatenção.

A medicação pode ser prescrita para ajudar a controlar os sintomas do TDAH na infância, mas deve ser usada com cautela e sob a supervisão de um médico. É importante lembrar que a medicação não é uma cura para o TDAH e deve ser combinada com outras formas de tratamento.

Além disso, mudanças no estilo de vida, como uma dieta saudável, exercícios físicos regulares e rotinas estruturadas, podem ajudar a controlar os sintomas do TDAH na infância e melhorar a qualidade de vida da criança.

Em resumo, o TDAH na infância é um distúrbio de neurodesenvolvimento que afeta a capacidade da criança de manter o foco em atividades, além de causar inquietude e impulsividade. O diagnóstico é baseado na observação do comportamento da criança e o tratamento pode incluir terapia comportamental, medicação e mudanças no estilo de vida.


TDAH na Adolescência

O Transtorno do Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH) é um problema que afeta muitas crianças e adolescentes. Embora alguns possam superar o TDAH na adolescência, muitos ainda sofrem com seus sintomas. Na adolescência, o TDAH pode ser particularmente difícil de lidar, pois é um momento em que as demandas acadêmicas e sociais aumentam significativamente.


Diagnóstico na Adolescência

O diagnóstico do TDAH na adolescência pode ser complicado, pois muitos adolescentes podem não se encaixar no estereótipo tradicional do TDAH. Além disso, os sintomas do TDAH podem ser confundidos com outros problemas de saúde mental, como ansiedade e depressão.

Para diagnosticar o TDAH na adolescência, os médicos geralmente realizam uma avaliação clínica completa, que inclui uma revisão do histórico médico e comportamental do paciente, bem como entrevistas com os pais e professores. Eles também podem usar avaliações padronizadas e questionários para ajudar no diagnóstico.


Tratamento na Adolescência

O tratamento do TDAH na adolescência pode incluir uma combinação de terapia comportamental e medicamentos. A terapia comportamental pode ajudar os adolescentes a desenvolver habilidades para lidar com seus sintomas, incluindo estratégias para melhorar o foco e a organização.

Os medicamentos geralmente prescritos para tratar o TDAH na adolescência incluem estimulantes, como a Ritalina e o Concerta. Esses medicamentos podem ajudar a melhorar a atenção e a reduzir a hiperatividade e impulsividade. No entanto, é importante lembrar que os medicamentos não são uma cura para o TDAH e devem ser usados em conjunto com outras formas de tratamento.

Além disso, os adolescentes com TDAH podem se beneficiar de outras mudanças no estilo de vida, como dormir o suficiente, seguir uma dieta saudável e equilibrada e fazer exercícios regularmente. Eles também podem se beneficiar de estratégias para gerenciar o estresse e a ansiedade, bem como de um ambiente estruturado com regras claras e rotinas previsíveis.

Em resumo, o TDAH na adolescência pode ser um desafio, mas com o diagnóstico e tratamento adequados, os adolescentes com TDAH podem aprender a gerenciar seus sintomas e ter sucesso na escola e na vida.


TDAH em Adultos


O TDAH em adultos é caracterizado por sintomas de desatenção, impulsividade, inquietação, disfunção executiva e desregulação emocional. E esses sintomas promovem prejuízos no funcionamento do paciente.


Diagnóstico em Adultos

O diagnóstico do TDAH em adultos é um desafio, pois muitos dos sintomas podem ser confundidos com outras condições médicas ou psiquiátricas, como ansiedade, depressão e transtornos de personalidade. Além disso, muitos adultos com TDAH não foram diagnosticados na infância e, portanto, não receberam tratamento adequado.

Para diagnosticar o TDAH em adultos, é necessário uma avaliação completa por um profissional de saúde mental, que inclui uma entrevista clínica, avaliação do histórico médico e comportamental, além de testes psicológicos e neuropsicológicos.


Tratamento em Adultos

O tratamento do TDAH em adultos inclui terapia comportamental e medicamentos estimulantes, como metilfenidato e anfetaminas. A terapia comportamental pode ajudar o paciente a desenvolver habilidades para lidar com os sintomas do TDAH, como organização, planejamento e gerenciamento de tempo.

Os medicamentos estimulantes são eficazes no tratamento dos sintomas do TDAH em adultos, mas devem ser prescritos e monitorados por um profissional de saúde mental. Além disso, os pacientes devem ser informados sobre os possíveis efeitos colaterais dos medicamentos, como insônia, perda de apetite e ansiedade.

Em geral, o tratamento do TDAH em adultos é um processo contínuo que pode exigir ajustes na terapia e nos medicamentos. É importante que o paciente trabalhe em colaboração com o profissional de saúde mental para encontrar o tratamento mais eficaz para seus sintomas.


Causas do TDAH

As causas exatas do Transtorno de Déficit de Atenção com Hiperatividade (TDAH) ainda não são totalmente conhecidas, mas acredita-se que seja uma combinação de fatores genéticos e ambientais.

Estudos sugerem que fatores genéticos podem estar envolvidos no desenvolvimento do TDAH. Pesquisas mostram que o TDAH pode ocorrer em famílias, o que sugere que há uma predisposição genética para o desenvolvimento do transtorno.

Além disso, fatores ambientais também podem desempenhar um papel importante no desenvolvimento do TDAH. A exposição ao álcool durante a gravidez pode aumentar o risco de desenvolvimento do TDAH na criança. Fatores ambientais, como a exposição ao chumbo, também podem estar associados ao desenvolvimento do TDAH.

A negligência na infância também pode aumentar o risco de desenvolvimento do TDAH. Crianças que foram negligenciadas ou que sofreram abuso físico ou emocional podem ser mais propensas a desenvolver o transtorno.

Embora as causas do TDAH não sejam totalmente compreendidas, é importante lembrar que o transtorno não é causado por má educação, falta de disciplina ou falha dos pais. O TDAH é um transtorno médico que requer tratamento adequado.


Profissionais Envolvidos no Diagnóstico e Tratamento

O diagnóstico do Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade (TDAH) pode ser realizado por diferentes profissionais da saúde, dependendo da idade do paciente e da gravidade dos sintomas. Em geral, a avaliação da presença do TDAH é clínica e baseada em alguns critérios já previamente definidos.

Na fase pré-escolar até o ensino fundamental, o neuropediatra é o profissional adequado para confirmar o diagnóstico e iniciar o tratamento. Já na adolescência e idade adulta, o psiquiatra é o especialista mais indicado para avaliar e tratar o TDAH.

Além desses profissionais, outros especialistas também podem ser envolvidos no diagnóstico e tratamento do TDAH, como psicólogos, médicos neurologistas, fonoaudiólogos, psicopedagogos e fisioterapeutas. Cada profissional tem um papel importante no tratamento do TDAH, contribuindo com diferentes abordagens terapêuticas.

O pediatra também pode desempenhar um papel fundamental no diagnóstico e tratamento do TDAH, especialmente em crianças mais novas. É importante que os pais conversem com o pediatra sobre quaisquer preocupações que tenham em relação ao comportamento ou desenvolvimento de seus filhos, para que o diagnóstico e tratamento possam ser iniciados o mais cedo possível.

Em resumo, o diagnóstico e tratamento do TDAH envolvem uma equipe multidisciplinar de profissionais de saúde, cada um com sua especialização e contribuição. É importante que os pacientes e suas famílias sejam orientados sobre a importância de seguir as recomendações médicas e terapêuticas para o manejo adequado do TDAH.


Comorbidades Associadas ao TDAH

O Transtorno do Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH) é frequentemente associado a outras condições médicas e psiquiátricas, conhecidas como comorbidades. As comorbidades podem afetar o diagnóstico, tratamento e prognóstico do TDAH.

Um estudo publicado na revista científica Archives of Disease in Childhood revelou que crianças com TDAH têm maior probabilidade de apresentar comorbidades, como distúrbios de aprendizagem, ansiedade e problemas de comportamento. Outras comorbidades associadas ao TDAH incluem:

  • Autismo: O TDAH e o autismo compartilham alguns sintomas, como dificuldades de comunicação e interação social, tornando o diagnóstico mais complicado. É comum que uma criança com TDAH também tenha autismo ou vice-versa.

  • Baixa autoestima: Crianças com TDAH podem ter baixa autoestima devido a dificuldades em seguir regras e em se concentrar nas tarefas escolares. A baixa autoestima pode levar a problemas emocionais e comportamentais mais graves.

  • Distúrbios de aprendizagem: Crianças com TDAH têm maior probabilidade de apresentar distúrbios de aprendizagem, como dislexia e deficiência intelectual. Esses distúrbios podem afetar negativamente o desempenho acadêmico e social da criança.

  • Saúde mental: O TDAH está frequentemente associado a problemas de saúde mental, como depressão e transtornos de ansiedade. Crianças com TDAH podem ter dificuldade em lidar com as emoções e podem precisar de ajuda adicional para gerenciar esses problemas.

É importante lembrar que cada pessoa é única e pode ter diferentes comorbidades associadas ao TDAH. O diagnóstico preciso e o tratamento adequado podem ajudar a gerenciar essas condições e melhorar a qualidade de vida da pessoa.


Conclusões, Síntese e Análise de Atitude

Pessoas com TDAH têm dificuldade em revisar situações e erros, fazer conclusões, síntese e análise de atitude. Eles tendem a ser mais esquecidos, desorganizados e se perdem em tarefas. Além disso, eles podem apresentar outras características, como:

  • Dificuldade em manter o foco em tarefas que são tediosas ou exigem muito esforço mental;

  • Dificuldade em seguir instruções e completar tarefas;

  • Dificuldade em lembrar informações importantes;

  • Dificuldade em se organizar e planejar tarefas;

  • Dificuldade em lidar com situações estressantes;

  • Dificuldade em esperar sua vez e respeitar limites.

Pessoas com TDAH também podem ter problemas com a memória de trabalho, que é a capacidade de manter informações em sua mente por um curto período de tempo para usá-las em uma tarefa específica. Isso pode afetar sua capacidade de aprender e lembrar informações importantes.

No entanto, é importante notar que nem todas as pessoas com TDAH apresentam os mesmos sintomas. Alguns podem ter mais problemas com desatenção, enquanto outros podem ter mais problemas com hiperatividade e impulsividade.

Para ajudar a gerenciar esses sintomas, é importante que as pessoas com TDAH tenham um ambiente estruturado e rotinas diárias previsíveis. Eles também podem se beneficiar de estratégias de gerenciamento de tempo e organização, como fazer listas de tarefas e usar lembretes.

Em alguns casos, medicamentos estimulantes, como a metilfenidato, podem ser prescritos para ajudar a melhorar a atenção e reduzir a hiperatividade e impulsividade. No entanto, esses medicamentos podem ter efeitos colaterais e não são adequados para todas as pessoas com TDAH.

Em resumo, as pessoas com TDAH podem ter dificuldades em fazer conclusões, síntese e análise de atitude, bem como outras características como desatenção, hiperatividade e impulsividade. É importante que eles tenham um ambiente estruturado e rotinas diárias previsíveis, além de estratégias de gerenciamento de tempo e organização para ajudar a gerenciar esses sintomas. Em alguns casos, medicamentos estimulantes podem ser prescritos, mas não são adequados para todas as pessoas com TDAH.




30 visualizações

Comments

Rated 0 out of 5 stars.
No ratings yet

Add a rating
bottom of page